Theatro do v. de almeida Garrett

Framsida
 

Så tycker andra - Skriv en recension

Vi kunde inte hitta några recensioner.

Utvalda sidor

Vanliga ord och fraser

Populära avsnitt

Sidan 114 - MADALENA (na maior ansiedade) — Deus tenha misericķrdia de mim! E esse homem, esse homem... Jesus! esse homem era.... esse homem tinha sido... levaram-no aí de donde?...
Sidan 130 - Telmo não lhe diz nada, por certo ; eu já lhe asseverei — e acreditou-me — que a mãe estava melhor, que tu ias logo vę-la ... E assim espero que, até lá por meio do dia, a possamos conservar em completa ignorância de tudo. Depois ir-se-lhe-á dizendo, pouco a pouco, até onde for inevitável. E Deus... Deus acudirá. MANUEL Minha pobre filha, minha querida filha ! CENA II JORGE, MANUEL DE SOUSA, TELMO TELMO batendo de fora ā porta do fundo.
Sidan 113 - MADALENA (aterrada) E quem vos mandou, homem? ROMEIRO Um homem foi, e um honrado homem ... a quem unicamente devi a liberdade... a ninguém mais. Jurei fazer-lhe a vontade, e vim.
Sidan 110 - Deus quis trazer-vos ā terra de vossos pais ; e quando for Sua vontade, ireis morrer sossegado nos braįos de vossos filhos. ROMEIRO — Eu não tenho filhos, padre. JORGE — No seio da vossa família.
Sidan 129 - Como lho havia de eu recusar ! MANUEL — De nenhum modo ; fizeste bem ; eu é que sou injusto. Mas o que eu padeįo é tanto e tal...
Sidan 12 - Era tempo de banhos, havia feira e concorrencia grande; fomos á noite ao theatro: davam a Comedia famosa, não sei de quem, mas o assumpto era- este mesmo de Frei Luiz de Sousa.
Sidan 111 - Quereis lembrar-me que estou abusando da paciencia com que me tem ouvido? Fizestes bem, padre: eu ia-me esquecendo... talvez me esquecesse de todo da mensagem a que vim . . . Estou tão velho e mudado do que fui ... MADALENA — Deixai, deixai, não importa, eu folgo de vos ouvir: dir-me-eis vosso recado quando quiserdes.
Sidan 9 - Em um quadro grande, vasto — as figuras poucas, as altitudes simples, é que se obram os grandes milagres da arte pela correcįão no desenho, pela verdade das cores, pela sábia distribuiįão da luz. Mas ou se ha de fazer um prodigio ou uma semsaboria.
Sidan 189 - A poesia verdadeira é ésta, é a que sai d'estas suas fontes primeiras e genuinas ; não são arrebiques de phrases tiradas de gregos ou latinos, de francezes ou de inglezes, segundo é moda ; nem refacimentos exaggerados — hoje, da semsaboria descorada da eschola passigraphica que destingiu a nacionalidade de todas as litteraturas...
Sidan 109 - Paixão que ali se obrou... e as paixões mundanas, e as lembranįas dos que se chamavam meus...

Bibliografisk information